Construtora Lucios inicia internacionalização em Moçambique

 

A construtora Lucios vai estrear-se nos mercados internacionais. A aposta inicial será em Moçambique. "A entrada, em Setembro próximo, no mercado de Moçambique é o corolário de algumas pesquisas que fizemos em cinco a seis países e parece-nos uma boa oportunidade, sobretudo uma oportunidade com pouco risco", explica o administrador-geral do grupo, Filipe Azevedo, ao Diário Económico.

 Com um investimento de 3,3 milhões de euros no prazo de cinco anos, a Lucios estima atingir, nesse mesmo período, um volume de facturação de 100 milhões de euros. Para o primeiro ano, as previsões apontam para dez milhões de euros de facturação.

Em criação está, para já, a sociedade Lucios Moçambique que vai dedicar-se tanto a obras particulares como públicas. No caso das obras públicas, a Lucios Moçambique contará com a parceria de uma empresa local também ligada ao ramo da construção.

O primeiro projecto a arrancar em Moçambique será um condomínio privado com uma implantação de 15 mil metros quadrados, na capital do país, Maputo."Já temos duas a três obras em Moçambique e, nesta primeira fase, vamos arrancar com um quadro de pessoal com seis a sete funcionários", revela o administrador da Lucios, que garante ainda que se trata de "quadros que irão de cá". No entanto, ressalva, "pela lei de Moçambique, por cada quadro que levamos somos obrigados a contratar alguns de lá". Filipe Azevedo assegura que existem outros mercados em perspectiva "mas, como estamos na altura das assinaturas de contratos, prefiro não referir de que países estamos a falar".

Ainda a nível internacional, a empresa vai apostar no mercado francês, onde irá operar na área da reabilitação urbana. O segmento da reabilitação "tem hoje um peso de 60% nas contas do grupo, pelo que pretendemos repetir o modelo interno no mercado francês". A Lucios inaugurou recentemente no Porto, o "Passeio das Cardosas", o maior projecto de reabilitação urbana realizado na baixa portuense. "França dá-nos algumas garantias, sobretudo, ao nível dos pagamentos porque em termos legais os pagamentos são obrigatórios. Não corremos os riscos que corremos em Portugal onde estamos meses para conseguir receber", defende o mesmo responsável.

A Lucios fechou 2011 a facturar 53 milhões de euros, um valor que deve manter-se este ano. "Tudo vai depender da produção do segundo semestre, mas tudo indica que iremos ficar em linha com o ano anterior", assume o gestor. "O nosso objectivo é mantermos este nível de facturação. Crescer só mesmo a partir dos mercados externos", admite.

Lucios

Criada há 70 anos, a construtora Lucios facturou 53 milhões de euros no ano passado. A empresa, sediada em Vilar do Pinheiro, tem agora como objectivo alargar a área geográfica e diversificar as áreas de negócio. A Lucios desenvolve a sua actividade no âmbito da construção residencial, industrial, comércio e serviços, desporto, lazer e requalificação em obras públicas e privadas. A empresa tem também uma área de promoção imobiliária residencial para os segmentos alto e médio-alto.

 

Fonte: Diário Económico